Neuromarketing redes sociais: como abordar o cliente no mundo digital

#neuromarketing é uma ferramenta que ajuda a encontrar as motivações físicas e biológicas que despertam nas pessoas o desejo de comprar (e o de não comprar também). 𝗖𝗼𝗺 𝗯𝗮𝘀𝗲 𝗲𝗺 𝘁é𝗰𝗻𝗶𝗰𝗮𝘀 𝗾𝘂𝗲 𝗱𝗲𝘀𝗽𝗲𝗿𝘁𝗮𝗺 𝘁𝗼𝗱𝗼𝘀 𝗼𝘀 𝘀𝗲𝗻𝘁𝗶𝗱𝗼𝘀 𝗱𝗲 𝘂𝗺 𝗵𝘂𝗺𝗮𝗻𝗼, o neuromarketing pode ser aplicado de forma física ou virtual, onde conhecendo o mínimo de uma pessoa (persona ou publico alvo) é possível despertar nele o desejo de comprar. Além disso, o neuromarketing pode ser aplicado no #posvenda#posvenda a fim de garantir a satisfação do cliente, recomendação e fidelização. Neuromarketing é para todos os tempos, uma vez que, o comportamento das pessoas mudam, é preciso buscar entendê-las frente às novas tendências e exigências do público consumidor. Diferente do comportamento do consumidor que estuda as motivações sociais, o neuromarketing trabalha de acordo com aquilo que causa reações cerebrais, como medo, luta, fuga, desejo, e repulsa. A forma de falar, como falar, se vestir, se manifestar ao cliente, se é para homem ou para mulher, tudo isso é considerado no neuromarketing e nas aplicações de marketing de um produto ou serviço. Grandes marcas fazer isso com excelências, mas as pequenas também podem! E é isso que eu Glaucia, da @conteudosingular busco fazer nos trabalhos para os meus clientes.


Como abordar o cliente nas redes sociais?


A princípio, não se aborda o cliente nas redes sociais, enquanto ele não der o primeiro passo, contudo pode ser feito uma comunicação inicial com o mesmo, nas seguintes situações:


  • Quando algum seguidor começar a seguir sua página, dar as boas vindas, informar seus contatos e como seu produto ou serviço pode ser útil;


  • Quando alguma página curtir seu post ou comentar e que ainda não o segue, você pode tentar alguma comunicação que o atraia, criando um vínculo, algo que ele se identifique com o que você tem a oferecer.


Neuromarketing redes sociais


A base do neuromarketing é despertar o interesse, logo, você já deve ter percebido isso, quando realiza alguma compra dentro do Instagram, por algo naquela foto de produto ou naquela página específica te encantou, demonstrou segurança e que fez da sua navegação de entretenimento, em um momento de compra.

Então, os meios que o mundo digital disponibiliza para usar o neuromarketing como ferramenta são:


Fotos de pessoas

Isso mesmo, use fotos realistas que tenha uma pessoa interagindo com seu produto ou serviço, pois, fica mais fácil daquele seguidor " se imaginar'' consumindo algo da sua empresa.


Fotos de pessoas em que os olhos ficam em evidência, onde é possível identificar o sentimento dela em relação ao que ela usando ou consumindo, despertam e muito o interesse das pessoas em saber mais.


LEMBRE-SE: REDE SOCIAL NÃO É CATÁLOGO DA AVON! PORTANTO, NÃO FAÇA DO SEU PERFIL, UMA VITRINE MORTA, COM UM PRODUTO E UM PREÇO, PORQUE ISSO, DIFICILMENTE IRÁ VENDER.


Storytelling e a arte de contar histórias


Quem usa o storytelling, ou melhor, conta história tem a chance de conquistar duas vezes mais um cliente, sabia?


Então, sabe aquela foto cativante? ELA PRECISA DE UMA LEGENDA, e nada melhor que criar um história curta que revele os principais motivos que fazem do seu produto ou serviço serem escolhidos.


Histórias despertam emoção e reciprocidade, e conseguem serem fixadas na memória de uma pessoa, de maneira que apenas falar de um produto não é possível.


Mas para se ter uma ideia de storytelling basta ver a nova campanha da Hering de dia das mães, que está maravilhosa!


Reels o vídeo do Instagram


Movimento, é algo que os olhos costumam procurar e isso é algo estudado e aplicado pelas grandes marcas que fazem do neuromarketing sua estratégia de divulgação, memorização e desejo nas pessoas.


Logo, usar vídeos seja em qualquer plataforma ou como a novidade do momento, o reels do Instagram, é sem dúvida, uma forma criativa e motivadora.


Usar vídeos que demonstrem todo o potencial do seu produto ou serviço e que ainda, tenha uma música de fundo que complete toda sua ideia, é estimulante e desperta várias sensações, basta se atentar ao tipo de emoção que deseja.


Além disso, conteúdos em vídeo (não se esqueça de ativar a legenda!), têm sido cada vez mais consumidos, indo além do entretenimento, onde, muitos buscam conhecer aquilo que desejam, ao máximo, antes de comprar.


Vai dizer que você não faz o mesmo, quando está navegando na internet ou rede social, em busca de uma informação? Pois então, esse é o objetivo dos consumidores.

Em tempos de crise, como esse, entender as pessoas e criar um modo de conquistá-las é dever de quem deseja manter-se no mercado, e eu posso ajudar.


E se você quiser alguém que o ajude a criar um storytelling ou criar conteúdos com base no neuromarketing para redes sociais, você veio ao lugar certo, porque eu posso te ajudar, clique aqui e fale comigo.

7 visualizações0 comentário